domingo, 23 de novembro de 2014


ESPLENDOROSO VASO SANITÁRIO

Boiam adiposos espólios
(fui eu quem os fiz!) e é assim
que penso: meteoros que um
ou dois incensos hão de

purificar, penso em quem tenha
rudimentos de taxidermia para, 
ora pois, imortalizar-me os
destroços (toroços) absortos

em vaso sanitário
esplendoroso.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014


AMAR É USAR LINGUAGEM DE CASERNA

Amar é usar linguagem de caserna,
da intimidade crua o anedotário
de vestiários, bares, serpentários
onde dilacerar do ser a fleuma;

é conspurcar de gozo os ademanes,
sujar de estrebaria os solilóquios,
rasgar declarações, castrar o móbil
que parasita almas tão ingênuas.

Forbidden doravante seja lema
do amor sem etiqueta ou suspensórios
(o amor é amar sem genuflexórios). 

O franco-atirador fez um poema
e o leu qual menestrel, contudo o óbvio
não se concretizou (o amor não é tema).