segunda-feira, 21 de outubro de 2013


PARA SER TÃO TIPO ASSIM

eu e minha boca rotunda
minha fala de antanho
anos falando grego
rouxinóis da carochinha
artistas de ribanceira
meus neurônios coloridos
carcomidos pela aurora
da adolescência que,
ausente, acolhe a mim
no entrementes

de seu regaço ruidoso

eu repudio quem possa
manipular meios, fins
e driblar a mortandade
que me consome
e me escolhe

para ser tão
tipo assim