sábado, 26 de março de 2011


GABRIELA MISTRAL


Obliterado meu canto
nas águas que findam marços,
que amarfanham verões
e amarrotam poetastros;

assim se esvai via cratera
lactante e etéreo desvio
sugado como alimento
pelo
mais pródigo cio


já efetuado em leito: a chama
e o calor de um filho.

domingo, 13 de março de 2011


SALVO ENGANO


Hoje não estou para opiniões:
tostões furados, bolsos furados,
nenhum ouvido para despejar
os meus conselhos,

nenhum apelo para redigir,
nenhuma opinião ou redarguir
salvo engano,

onisciente e ocioso engano,
o brusco poema do desditoso engano
salvo ou salvífico
o engano.

sexta-feira, 11 de março de 2011


COMPOSIÇÃO


A fome pode emprenhar
um corpo desidratado; pode,
sim, dessedentar


dissidentes de um aquário


(não nos desminta a sereia
radicada em saliências; vide
hermética apoteose


em Andersen-Scheiss,
Gabriela).

terça-feira, 1 de março de 2011


ALTERNATIVO ITINERÁRIO

O ônibus retardou-me
no amarelo piscante

e anunciou-me (mímico) um
trânsito sem
sintaxe.

"O asfalto é opcional", diz

o anúncio publicitário

durante um jogo de futebol
e eu aqui: ser alicerçado

e
intransitivo filho da pista

que não digere
não regurgita


nem dá-me à luz
entre
vãs ferragens
.