sexta-feira, 25 de dezembro de 2009


ESPÉCIE



Esquecemos o metro
e o que havia de digno
na palavra estudada
em estado de sítio.


Esquecemos quão dócil
quando, em versos postiços,
excedia-se em ritos
de não ser tendo sido.


Ela era, se dava
como espécie de símio
invisível, volátil,
alfabeto, grunhido.



quinta-feira, 24 de dezembro de 2009


BOQUIRROTO


Evito a boca
que escovas, pintas,
sumo orifício
que apraz, que

aprumas.

Assim me esquivo
das suas ondas
e não me afogo
por onde

espumas.


segunda-feira, 7 de dezembro de 2009


MELHOR NÃO TÉLOS

Amigos
retidos em gambiarras,
em gambigarras pigarro
e ainda cigarram pelos
elos cotovelos;

mares-temários encobrem
feudos-espelhos;

radioamadores carecas,
burcas de minissaia, os
meus amigos são todos

da sua laia saloia,
da sua saloia laia.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009


MOVIMENTOS

O corpo arde em
urucubacas entretecidas.

O olho mágico
e é tragicômica sua
argila.

A agulha espeta
o espantalho urdido
em miniaturas.